A DISCRIMINAÇÃO À HOMOSSEXUALIDADE NA HISTÓRIA DO TOTALISTARISMO NAZISTA: OS TRIÂNGULOS ROSAS ESQUECIDOS DOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO E TRABALHOS FORÇADOS

DOUGLAS VERBICARO SOARES

Resumo


O presente estudo busca explicitar o sistema Nacional-Socialista alemão, que culminou na imposição de práticas vexatórias e abusivas a milhares de pessoas, como o holocausto nazista. Condutas essas motivadas pelo ódio disseminado socialmente às minorias como ciganos, judeus e, em destaque nesse estudo aos homossexuais. O período histórico foi caracterizado pelo desrespeito tanto a homens, como mulheres, que tinham uma orientação diversa da heterossexual. Por essa razão, foram reduzidos em dignidade e no não reconhecimento da diversidade sexual. Desta forma, este estudo ressaltará as estruturas do regime nazista na opressão dessa minoria, fazendo alusão aos seus efeitos pós-guerra. Temas que incidiram na criação dos Direitos Humanos e no desenvolvimento do ideal de proteção da sexualidade humana, especialmente quanto à orientação sexual.

Texto completo:

163-199

Referências


AMICH, C. 2007. Cultura Homosexual, Sujeto Homosexual y Derechos Humanos. In: Foro Revista de Ciencias Jurídicas y Sociales. Madri, Espanha, número 5, p. 199-219.

BBC. 'A perseguição nunca acabou', diz autor de livro sobre caçada nazista a gays. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-41376120. Acesso em: 19/12/2018.

BERTONHA, J. 2004. Fascismo, nazismo, integralismo. São Paulo, Brasil: Editora Ática, 80 p.

BOBBIO, N. A Era dos Direitos. 1992. 17ª Tiragem. Rio de Janeiro, Brasil: Ed. Campus, 217 p.

COMPARATO, F. 2001. A afirmação histórica dos direitos humanos. 2ª Edição. São Paulo, Brasil: Editora Saraiva, 488 p.

ESQREVER. 2015. Porque o holocausto também passou por aqui. Disponível em: . Acesso em: 20/12/2018.

GEDENKSTAETTE-SACHSENHAUSEN. 2020. Memorial centre and museum Disponível em : . Acesso em : 08/04/2020.

GOLDHAGEN, D. 2002. Os carrascos voluntários de Hitler. 2ª Edição. São Paulo, Brasil: Companhia das Letras, 656 p.

GUTERMAN, M. 2013. A moral nazista: uma análise do processo que transformou crime em virtude na Alemanha de Hitler. Tese Doutoral. Programa de Pós-graduação em História Social. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil, 297 p.

HOLGADO, C. 2012. Reseñas: “Heger, Heinz: Los hombres del triángulo rosa. Memorias de un homosexual en los campos de concentración. Traducción de Eduardo Knörr Argote. Madrid: Amaranto 2002. 164 pp.”. In.: Revista de Filología Alemana. Madri, Espanha, vol. 20, p. 239-350.

JELIN, E. 2010. ¿Qué papel cumplen los espacios para la memoria en nuestra sociedad? In.: Recordar para pensar - Memoria para la democracia. La elaboración del pasado reciente en el Cono Sur de América Latina. Buenos Aires, Argentina: Böll Cono Sur, p. 19-22.

KOSKOVITCH, G. 2003. De "Eldorado" al Tercer Reich. Vida y muerte de una cultura homosexual. In.: Orientaciones: revista de homosexualidades, n. 5, 2003 (Ejemplar dedicado a: Exterminio bajo el nazismo), p. 29-54.

MARACIN, P. 2010. A noite das facas longas. 2ª Edição. Lisboa, Portugal: Texto & Grafia, 200 p.

MOCELLIN, R. 1999. Para conhecer melhor o nazismo. 2ª Edição. São Paulo, Brasil: FTD, 47p.

MÜHLEN, B. 2012. Cultura, identidade e gênero no processo de imigração judaica de sobreviventes da segunda guerra mundial. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil, 114 p.

PÉREZ, C. 2001. La identidad gay: una identidad en tensión. Una forma para comprender el mundo de los homosexuales. In.: Desacatos. Ciudad de México, México. Primavera-verano 2001, p. 97-110.

PÉREZ, F. 2003. El “olvido” de los estudios históricos. In.: Orientaciones: revista de homosexualidades, n. 5, 2003 (Ejemplar dedicado a: Exterminio bajo el nazismo), p. 7-28.

PRETZEL, A. 2003. Inducción y complicidad en el asesinato de homosexuales. Delitos nazis de la justicia berlinesa. In.: Orientaciones: revista de homosexualidades, n. 5, 2003 (Ejemplar dedicado a: Exterminio bajo el nazismo), p. 55-72.

PRETZEL, A.; MÜLLER, J.; MICHELER, S. 2003. La persecución de los homosexuales durante el nazismo y su continuidad. Coincidencias y diferencias en Berlín, Hamburgo y Colonia. In.: Orientaciones: revista de homosexualidades, n. 5, 2003 (Ejemplar dedicado a: Exterminio bajo el nazismo), p. 73-94.

ROSENBAUM, R. 2003. Para entender Hitler: a busca das origens do mal. Rio de Janeiro, Brasil, 641 p.

RUIZ-OLALDE, P. 2004. La historia olvidada del Nazismo: los homosexuales durante el Holocausto. In.: Educació i Cultura, nº 17. Salamanca, Espanha, p. 195-210.

SÁNCHEZ, S. 2011. Biopolítica, Nazismo, Franquismo. Una aproximación comparativa. In.: Éndoxa: Series Filosóficas. Madri, Espanha, n. 28, p. 257-286.

SEGALLA, A. 2003. Onde há democracia não há guerra. Disponível em: . Acesso em: 11/12/2018.

SETTERINGTON, K. 2018. Marcados pelo triângulo rosa. Projeto Pedagógico. Elaboração: Clara de Cápua e Mariza Junqueira. São Paulo, Brasil: Melhoramentos. Disponível em: . Acesso em: 19/12/2018.

SILVA, M. Q; LIPPI, C. S. 2018. A implementação da Decisão da Corte Europeia de Direitos Humanos no caso Vallianattos e outros vs Grácia: A luta contra o autoritarismo e busca pelos direitos sociais. In.: Gênero, feminismos e sistemas de Justiça: discussões interseccionais de gênero, raça e classe. Rio de Janeiro, Brasil: Freitas Bastos, p. 351-364.

VERBICARO SOARES, D. 2016. A condenação histórica da orientação sexual homossexual – as origens da discriminação à diversidade sexual humana: violações aos direitos sexuais – reflexos do Brasil Colônia ao Século XXI. In: Revista Latino-Americana de Direitos Humanos - HENDU. V. 7, número 1, p.50-64.

VERBICARO SOARES, D. 2015. La libertad sexual en la sociedad: especial referencia a la homosexualidad en las Fuerzas Armadas Brasileñas. Salamanca, España. Tesis Doctoral. Universidad de Salamanca – USAL: Programa de Doctorado Pasado y Presente de los Derechos Humanos. 791 p.

VERBICARO SOARES, D. 2011. Homossexualidade e Forças Armadas. A busca pela efetividade dos Direitos Humanos no Brasil. Salamanca, Espanha. Tesina – Grado da USAL. Universidade de Salamanca – USAL, 233 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Pensamento Jurídico