A TRANSIÇÃO DO ALISTAMENTO MILITAR PARA TRANSGÊNEROS MASCULINOS NAS FORÇAS ARMADAS NO BRASIL

DOUGLAS VERBICARO SOARES, GABRIELLE KELLER SANCHES PEREIRA

Resumo


Esse trabalho busca entender as realidades vividas por pessoas transgêneros na sociedade brasileira, em especial dentro das Forças Armadas do país. Dessa maneira, será empregada uma investigação qualitativa, baseada no estudo da normativa do Governo Brasileiro, que estendeu o alistamento militar obrigatório para pessoas transgêneros masculinas, desde que realizadas as respectivas alterações nos registros civis. Apesar da iniciativa do Estado, a investigação buscará respostas para saber se essa medida, criada para o coletivo de pessoas trans, realmente atingiu seu objetivo como alternativa integracionista, ou se não passou de uma ação restrita, disfarçada de afirmativa. Disfarçada, pois estaria, supostamente, concedendo apenas o alistamento/dispensa de homens transgêneros, mas não a sua efetiva incorporação como militares.

Texto completo:

95-120

Referências


ABGLT. Manual de comunicação LGBT. 2015. Disponível em:. Acesso em: 28/06/2018.

AGENCIA EFE. Canadá responde Trump convidando transexuais a se alistarem em seu Exército. 2017. Disponível em:. Acesso em: 22/07/2018.

AGENCIA EFE. Juíza reverte ordem de Trump e permite alistamento de transexuais no Exército. 2017. Disponível em:. Acesso em: 22/07/2018.

AGENCIA EFE. Transexuais poderão se alistar no Exército dos EUA a partir de 2018. 2017. Disponível em:. Acesso em: 22/07/2018.

ALISTAMENTO ON LINE. Dúvidas frequentes. 2018. Disponível em:

ARÁN, Márcia. Transexualidade e políticas de saúde pública no Brasil. Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, Brasil, de 25 a 28 de agosto, UERJ. 2008. Disponível em:. Acesso em: 26/06/2018.

BUSTOS, María Ángeles González. La transcendencia del sistema de función pública en el desarrollo de la igualdad. In: RUIZ, Manuela Mora. (Dir.) Formación y objeto del Derecho antidiscriminatorio de género: perspectiva sistemática de la igualdad desde el Derecho público. Barcelona, Espanha: Atelier, pp. 235-54, 2010.

CASTEL, Pierre-Henri. Algumas reflexões para estabelecer a cronologia do "fenômeno transexual" (19101995). In: Revista Brasileira de História. São Paulo, Brasil, vol.21 n. 41, ISSN 1806-9347. 2001. Disponível em:. Acesso em: 28/06/2018.

DI NUBILA, Heloisa; BUCHALLA, Cassia Maria. O papel das Classificações da OMS - CID e CIF nas definições de deficiência e incapacidade. In: Revista Brasileira de Epidemiologia, 2008; 11(2): 324-35.

FOLHA DE SÃO PAULO. Transexuais nas Forças Armadas afirmam sofrer discriminação. 2018. Disponível em:. Acesso em: 19/07/2018.

FORTUNE. 'Don't Ask, Don't Tell' Was Announced by Bill Clinton 25 Years Ago. 2018. Disponível em: . Acesso em: 29/07/2018.

FREIRE. Ana García-Mina. Análisis de los estereotipos de rol de género. Validación transcultural del inventario del rol sexual. Madri, Espanha. Tese Doutoral. Universidad Pontificia de Comillas, 1997, 633 p.

GOVERNO DO BRASIL. Homens transgêneros também devem fazer alistamento militar. 2018. Disponível em:. Acesso em: 16/04/2018.

GOVERNO DO BRASIL. Tire suas dúvidas sobre alistamento

militar. 2018. Disponível em:

JANOWITZ, Morris. El soldado professional. Madri, Espanha: Ministério de Defesa, 1990, 570 p.

KOTLINSKI, Kelly; CEZÁRIO, Joelma; NAVARRO, Melissa. Legislação e Jurisprudência LGBTTT. Brasília, Brasil: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero e Associação Lésbica Feminista de Brasília Coturno de Vênus, 2007, 320 p.

LACOMBE, Milly. Mais do que manteiga com mel (Cinderela). In: BRESSANIM, ... [et al.]; Over the rainbow. Um livro de contos de fadxs. São Paulo, Brasil: Planeta, 2016, pp. 5-48.

LIMA, Eva Vazquez. La transexualidad en la obra cinematográfica de Almodóvar: Todo sobre mi madre. Madri, Espanha. Tese Doutoral. Universidade Complutense de Madri, 2017, 543 p.

MARTINS, Ferdinando; ROMÃO, Lilian; LINDNER, Liandro; REIS, Toni. Manual de comunicação LGBT: Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Brasilia, Brasil, 2010, 52 p.

MPF. MPF/RJ recomenda que transexualidade não seja motivo de impedimento para o exercício da atividade militar. Disponível em:. Acesso em: 23/07/2018.

NASCIMENTO, Ewerton. Alternativas de mercado de trabalho para as travestis de Aracaju. Aracaju, Brasil: Ministério da Justiça, 2002, 68 p.

NATIONAL DEFENCE. Working towards greater diversity: a blessing or a curse? The experience of the Canadian Military Chaplaincy. 2014. Disponível em:. Acesso em: 24/07/2018.

O GLOBO. Transexualidade sai da categoria de transtornos mentais da OMS. 2018. Disponível em:. Acesso em: 04/07/2018.

ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD. La Organización Mundial de la Salud (OMS) publica hoy su nueva Clasificación Internacional de Enfermedades (CIE-11). 2018. Disponível em:. Acesso em: 28/06/2018.

PLANALTO. DECRETO Nº 8.727, DE 28 DE ABRIL DE 2016. 2016. Disponível em:. Acesso em: 26/07/2018.

PLOTEGHER, Renato. O amargo da intolerância (João e Maria). In: BRESSANIM, Eduardo... [et al.]; Over the rainbow. Um livro de contos de fadxs. São Paulo, Brasil: Planeta, 2016, pp.49-80.

RAMON, M. Dolors; FERRÉ, Mireia. El nuevo papel de las mujeres en el desarrollo rural. In: Documents d'anàlisi geogràfica. Barcelona, Espanha: Oikos-Tau, ISSN 0212-1573, ISSN-e 2014-4512, Nº 38, 2001, pp. 159-164.

REIS, Toni. Manual de Comunicação LGBTI+. Curitiba, Brasil: Aliança Nacional LGBTI / GayLatino. ISBN: 978-85-66278-11-8, 2018, 104 p.

SANTINI, Maicon. O loirinho do Joá (Rapunzel). In: BRESSANIM, ... [et al.]; Over the rainbow. Um livro de contos de fadxs. São Paulo, Brasil: Planeta, 2016, pp. 123-64.

SENA, Tito. Os relatórios Kinsey, Masters & Johnson, Hite: As sexualidades estatísticas em uma perspectiva das ciências humanas. Florianópolis, Brasil. Tese Doutoral. Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, 2007, 311 p.

SOARES, Rodrigo. Victor. O transexual nas Instituições

Militares. 2011. Disponível em:. Acesso em: 11/07/2018.

TRUMP, Donald. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28/07/2018.

TRUMP, Donald. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 28/07/2018.

TRUMP, Donald. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 28/07/2018.

VERBICARO, Dennis. Consumo e cidadania. Rio de Janeiro, Brasil: Lumen Juris, 2017, 568 p.

VERBICARO SOARES, Douglas. Homossexualidade e Forças Armadas. A busca pela efetividade dos Direitos Humanos no Brasil. Salamanca, Espanha. Tesina – Grado da USAL. Universidade de Salamanca – USAL, 2011, 233 p.

VERBICARO SOARES, Douglas. La libertad sexual en la sociedad: especial referencia a la homosexualidad en las Fuerzas Armadas Brasileñas. Salamanca, Espanha. Tese Doutoral. Universidade de Salamanca – USAL, 2015, 791 p.

VILAR, Duarte. Desempenho sexual – satisfação e problemas. In: FERREIRA, Pedro; CABRAL, Manuel (organizadores). Sexualidades em Portugal: Comportamentos e riscos. Lisboa, Portugal: Editorial Bizâncio, 2010, pp. 201-230.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Pensamento Jurídico