A CÊNCIA DO DIREITO E THOMAS KUHN

DERMEVAL ROCHA DA SILVA FILHO

Resumo


Em sua obra A Estrutura das Revoluções Científicas, Thomas Kuhn inaugura na ciência o conceito de paradigma dominante, explica como se dá a sua funcionalidade no dia a dia, discorrendo como os pesquisadores lidam com as inevitáveis anomalias e crises em sua aplicação, trazendo, a partir de exemplos clássicos da história da ciência, uma reflexão sobre a necessidade e a importância de novos paradigmas como pressuposto para o avanço científico. No presente artigo, estudaremos a influência das ideias kuhnianas para a ciência do direito, sabendo-se que Kuhn não tratou dessa relação, e se de fato o universo do direito comporta trabalhar com paradigmas dominantes ou “revoluções copernicanas”. 


Texto completo:

282-302

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Pensamento Jurídico